.

RSS

Quarto da Cacaia - parte 1

Olá, meus queridos!!

Hoje compartilho com vocês o projeto do quarto da minha prima-irmã, Maria Clara - vulgo Cacaia. Fiquei super feliz quando ela pediu para eu ajudá-la com as ideias para arrumar o quarto dela. Passamos um fim de semana com muita tinta, lixa, cola e boa companhia =)
Eram três mini-projetos separados: reformar o criado-mudo do jogo de quarto antigo, fazer um porta-bijus a partir de um galho e um abajur de bolinhas de gude.
Resultado final dos projetos para quarto da Cacaia
Criado-mudo
Inicialmente, a ideia era usar esse modelo aqui para reformar o criado-mudo. A Cacaia tinha comprado um tecido de corujinha super lindo para colocar na gaveta. Nossa matéria-prima foi um criado herdado que tem bem pra lá de 15 anos de vida. Esquecemos de tirar a foto antes de começar, por isso nessa foto a gaveta já está sem puxador e lixada.
O criado em seu estado (quase) original
Importante: Antes de começar qualquer projeto, é ideal certificar-se de ter todo o material necessário, sem risco de faltar nada no meio do caminho.

Para o criado precisamos de:
- Lixas d'água gramatura 150 a 300 (a gramatura mais alta, que é mais fina, ajuda a criar porosidade sem tirar muito o revestimento);
- Recipiente para diluir tinta;
- Pincéis e rolinhos de pintura de tamanhos adequados para o objeto;
- Solvente (água ou aguarrás, dependendo da tinta);
- Panos limpos;
- Fita crepe;
- Jornal;
- Preparador, que varia de acordo com o material do objeto (madeira, alumínio, etc.). Pergunte na loja de tintas qual o ideal para o seu projeto. Para que a cor final fique exatamente a da lata, escolha um preparador branco.
- Tinta na cor desejada. No nosso caso, a Cacaia escolheu a cor e misturaram pra ela na hora. Ficou linda!!!
- Pedaço de tecido em tamanho com sobra para revestir toda a superfície que você quer;
- Cola branca;
- Opcionais, mas recomendáveis: luvas e máscara (essenciais para tinta spray!).

Antes de começar, escolha um lugar com pouco vento e poeira para fazer seu projeto e forre o chão com jornal, fixando as pontas com fita crepe. Se você não fixar, o vento pode dobrar o jornal e estragar sua pintura. A escolha do local pode parecer bobagem, mas é muito importante. A poeira que acumula durante os intervalos de secagem engrossa a pintura e forma "bolinhas" que são difíceis, quando possíveis, de remover sem estragar seu trabalho. Ah, e trabalhe de cabelo preso - porque fios soltos também grudam na tinta.
Mãos à obra! Lixamos bem toda a superfície do criado, até perder o brilho do verniz e retirar as irregularidades. Limpamos bem com um pano seco, retirando todo o pó.
Em seguida, posicionamos a gaveta e o criado sobre o jornal e diluímos o preparador conforme as indicações da embalagem. Testamos a consistência da tinta num pedaço da gaveta que não ficaria visível depois de pronto. Além disso, como eu já disse na postagem da mesa, começamos a pintura sempre nas superfícies inferiores, que vão ficar "escondidas" quando o projeto estiver pronto. Após pronta e seca (de acordo com indicações na embalagem) a parte inferior, viramos o criado e aplicamos o preparador nas superfícies superiores.
Criado-mudo preparado para a pintura
Fizemos o mesmo com a gaveta, mas não pintamos as paredes internas.
Preparação da gaveta. Ao lado, o pote de sorvete que usamos para a diluição do preparador.
Deixamos secar de acordo com as instruções da embalagem. Nesse estágio, não precisamos nos preocupar muito com a cobertura. Claro que o preparador tem que cobrir toda a área, mas não é necessário se esforçar para deixar tudo igualzinho, porque a tinta com a sua cor preferida cobrirá tudo depois. Caso você tenha TOC, use um rolinho ou um spray, assim não terá esse problema.
Depois de seco o preparador, lixamos de leve com uma lixa beeeem fina (~300) só pra criar um pouco mais de porosidade. Lembre de tirar bem o pó depois de lixar. Nessa hora você também pode fazer algumas correções emergenciais, caso tenha ficado alguma imperfeição, grudado fios de cabelo, etc.
Importante: Sempre que achar que acabou uma demão de pintura/preparador, dê uma volta no seu projeto e procure bem se não deixou nenhuma área sem pintar. Às vezes ficamos pintando sentados em um único lugar e acabamos deixando passar.
Em seguida, diluímos um pouco a tinta na cor escolhida pela Cacaia, misturamos e começamos a pintura. Quanto à diluição, fique atento e use uma superfície para testar a consistência conforme for diluindo. Se você diluir demais, precisará dar muitas demãos para criar uma cobertura uniforme. Se diluir pouco, a tinta ficará muito grossa e difícil de espalhar. É mais ou menos o mesmo princípio que usamos para esmalte de unhas!

Novamente, iniciamos a pintura pelas partes inferiores. Nesse momento, o ideal é usar somente rolinho ou spray e deixar o pincel somente para alcançar os cantos que o rolinho não consegue. Se possível, após usar o pincel, uniformize com o rolinho. Outra coisa importante é distribuir a tinta no rolinho e tirar o excesso sempre que mergulhá-lo na tinta, assim você evita aqueles "escorridos". As bandejas de pintor são ideais para isso.
Cacaia pintando. Reparem que não nos preocupamos em pintar as partes que não aparecem no final.


Criado-mundo após primeira demão.
Esperamos secar ao toque, apoiamos na parte sem tinta e viramos para pintar as superfícies superiores. Terminado o criado, fizemos o mesmo com a gaveta.

Gaveta após primeira demão. Embaixo, a parte onde testei a consistência do preparador.
Aí foi só esperar secar o tempo indicado na embalagem e aplicar a segunda demão. Um cuidado importante nessa fase é não deixar a tinta secar no fundo do recipiente durante o intervalo de secagem. Limpe os recipientes ou, ao reiniciar a pintura, aplique bastante solvente e certifique-se que não ficou tinta seca "desmanchando" no fundo. Recomendo a primeira opção. Antes da segunda demão, também dá pra tirar sujeirinhas que tenham grudado, mas com muito cuidado!! Espere secar e pronto. Se não achar necessário, não precisa aplicar a segunda demão nas superfícies inferiores, já que elas aparecem menos. Dependendo da tinta, do estado da sua matéria-prima e da diluição que você usar, talvez precise aplicar a terceira demão.  Nesse caso, é só repetir o processo. Mas não aplique sem necessidade!
No nosso caso, terminamos assim, e ficou tão bonito que a Cacaia desistiu do tecido. Sugeri que ela trocasse um puxador por um bem feminino, de cristal ou coisa do tipo, pra dar um toque beeem romântico. Mas quando colocou o puxador de volta, ficou ótimo também, e economizou a compra de um novo. O resultado:

Criado-mudo finalizado, já no lugar. Ficou tão bonito que desistimos do tecido.
Caso queira fazer a aplicação do tecido, é só seguir as instruções daquele link que passei lá encima.

No próximo post, os detalhes do abajur!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário